Circuito alternativo em Aracaju

Publicado em:Dica da Semana, Redescobrindo Sergipe, blog- mar 23, 2013 4 Comentários

Sexta à tarde, sempre a trabalho, rumamos até a dita área de expansão de Aracaju conhecer um terreno na bela e maltratada Av. dos Náufragos e de quebra passar pela Oficina de Ladrilhos que não cansa de me encantar…

A Oficina oferece uma experiência incrível que é, ver de perto, a fabricação manual dos mosaicos, suas elaboradas formas de ferro e a infinidade de combinações possíveis de um material repleto de estórias que voltou para ficar…

Mas para nossa alegria outra surpresa: descobrimos a Casa de Artes que, com inauguração prevista para daqui a quinze dias, promete ser parada obrigatória para quem curte arte e reciclagem. O Wagner, paulista radicado em Aracaju, cria e customiza móveis  a partir da reciclagem de madeira, grades…

Contaminados pelos ares da vida simples demos uma esticada até a Reciclaria, onde encontramos Sônia absorta no trabalho artístico, e entre os cenários montados entre árvores me senti, novamente, criança brincando de casinha no quintal.

Delícia viver assim retrabalhando e devolvendo vida a materiais e objetos que a maioria das pessoas insiste em taxar de lixo(sic).

Quando penso em Sônia, sua opção de vida e uma família de músicos, massoterapeutas… Se contar,hoje, ninguém mais acredita, parece que não são de verdade. Quando crescer quero ser assim…

E entre filosofia e arte a tarde caiu deliciosamente, e fomos até o Sollo curtir o por do sol, felizes da vida em descobrir que algo diferente já está acontecendo em nossa cidade e que começa a se implantar, devagarinho, naquela área  negócios que podem mudar o seu destino : um circuito comercial mais descolado, charmoso, de arte compromissada com a vida sustentável!


Deixe um Comentário

  1. Responder Ismeralda Barreto says:

    Lindo trabalho, tenho curiosidade em conhecer, é preciso marcar uma visita ou basta chegar?

  2. Responder Cristovao Duarte says:

    Beleza Pura!

    • Responder analiborio says:

      Bacana, não? A história da Sônia impressiona. Largou um big emprego público para se dedicar a arte, a sustentabilidade. Os filhos são musicistas, massoterapeutas, uma verdadeira trupe…