O genial organizador da loucura…

Publicado em:Redescobrindo Sergipe, blog- jul 15, 2011 2 Comentários

Vi uma exposição de Bispo pela primeira vez, em 1990, na rodoviária de BH e fiquei encantada. Naquela época não sabia que era sergipano. Mas conhecendo bem as nossa feiras, bordados e folguedos do interior não dá para ter a mínima dúvida.

Quando Dr.Ricardo Aquino, diretor do Museu Bispo do Rosário- Colônia Juliano Moreira no Rio, se viu na feira de Japaratuba reconheceu Bispo em todas as barracas de camelôs seja pela arrumação dos pentes, espelhos e bijuterias, seja pelo colorido das garrafas de detergente…

É o Sergipe das bandeirolas, do balançar das barcas nos parquinhos de diversão, das feirinhas de natal, das pracinhas domingo de tarde, dos dramas de circo…

Trancafiado na solitária o genial sergipano produziu freneticamente, pintou e bordou e mais do que ninguém cruzou a fronteira entre o popular e o conceitual…Fez figurinos, cenários, assemblages…

Segundo críticos de arte sua produção compara-se à genialidade de um Picasso pela diversidade. Foram considerados os dois artistas mais importantes  do século XX. Picasso  como acadêmico, Bispo popular!

Suas peças já ganharam os museus do mundo Paris, New York  porém como são muito frágeis nunca veio ao Nordeste…Mas aqui temos Bispo todo dia no repertório popular das feiras e danças folclóricas!

Fotos são cópias de originais do Museu Bispo do Rosário


Deixe um Comentário

  1. Responder Patricia Dantas says:

    Adorei saber mais um pouco sobre essa figuraça!!! Como estudante de psicologia, a minha irmã estudou muito Bispo do Rosário e me trazia algumas informações. Mas contado com a sua sensibilidade de arquiteta-artista-jornalista é muito bommmmm!!!

    • Responder analiborio says:

      Obrigada Pati! Vale a pena ver a obra de Bispo é realmente fabulosa e vc ver um talento sair do popular com tantos links com artistas contemporâneos como Michel Duchamps…
      Bjos